A gente sabe que muitas vezes tem pessoas que pensam em ajudar ONGs, mas tem medo de que a doação não seja usada para o fim correto. Por isso resolvemos apresentar a você alguns dos nossos ” porquês “.

São histórias de histórias tristes, até mesmo revoltantes, de abandono, negligência, violência, que só não tiveram finais ainda mais triste porque chegamos a tempo de uma nova vida ou, pelo menos, dignidade para os que acabam virando estrelinha.

Nós apostamos que ao chegar à última história você estará emocionado ( a ). Topa a aposta?

Se a gente ganhar a aposta faz um PIX para a gente, não importa o valor, que seja de R$ 2,70. Parece pouco? Isso já compra um pacotinho de sachê. Se 60 pessoas doarem um pacotinho de sachê bebezinhos dormiram com o buchinho cheio.

Nossa Chave enquantohouverchance@gmail.com ( está no nome de Juliana Santana ).

 

GIANDUIA

Nossa menina da capa, um dos primeiros casos da Enquanto Houver Chance e um dos que nos fazem querer lutar por eles.

Ela chegou até a gente com uma otite severa, danos neurológicos, danos ao labirinto, falta de equilíbrio ( não conseguia nem ficar em pé ), câncer de mama, problema no fígado, desidratação e subnutrição.

Foram realizados exames de admissão, internação, acompanhamento, mais exames, retirada do tumor mamário. Mais exames, foi constatado metástase, fez quimioterapia.

Foi adotada!!! Por uma família linda, que a ama muito. Tanto que a adotaram sabendo que talvez ela não fique muito por aqui, na verdade o diagnóstico diz que não, mas com amor, o tratamento paliativo e um açaí de vez em quando, ela segue linda e feliz.

 

PANNA COTTA

Também foi uma dos nossos primeiros desafios.

Foi resgatada com esporotricose em estado avançado, desidratada, com uma desnutrição grave ( mal conseguia comer ) e com a parte respiratória comprometida.

Foram feitos exames de admissão e começou a luta, chegamos a pensar que a nossa ” Panninha ” não conseguiria.

Foram meses de tratamento, com uso de medicações específicas e caras e muito esforço dela para melhorar. Depois teve acompanhamento e, finalmente, a tão sonhada adoção.

 

ROMEUZINHO

Chegou ainda bem bebezinho, com rinotraqueite e dor porque, mesmo tão pequeninho, foi ESPANCADO!!!

Fez os exames de admissão ( hemograma completo, teste fiv e felv ), foi medicado, fez inalações e posteriormente raio x para confirmar a fratura. Foi tratado, castrado, vermifugado.

Realizou o sonho do sofá próprio e de uma família para chamar de sua: foi adotado.

 

 

CARAMELA

Outra filhotinha resgatada em situação grave, não sabemos se foi atropelamento ou espancamento.

Chegou com fraturas na região da bacia e cauda, urina com coloração marrom e dificuldade para defecar.

Fez radiografias, amputação da ponta da cauda que já estava necrosada. Tomou muita medicação, fez acompanhamento, foi castrada e vermifugada, além dos exames de admissão.

Também realizou o sonho do sofá próprio e da família para chamar de sua, foi adotada.

 

CEVICHE

Foi resgatado com sarna em estado avançado ( mal conseguia abrir os olhos ) e subnutrido, por causa da sarna tinha dificuldades para se alimentar.

Fez os exames de admissão ( hemograma completo, teste fiv e felv ).

Foi colocado em isolamento e observação a longo prazo. Tomou Revolution e banho com sabonete próprio para tratar a sarna, além de alimentação adequada para ganhar peso.

Foi castrado, vermífugado, fez exames regulares e depois de tudo isso, finalmente foi adotado.

 

DANDELION

Resgatado com esporotricose e carcinoma.

Além do exame normal de admissão foram feitos exames para diagnóstico e tratamento.

Foi realizada cirurgia de amputação das areas comprometidas e envio de material para análise. Segue em tratamento, agora fará eletroquímio.

Por enquanto não está disponível para adoção.

Ps: alguém reparou que ele passou de bege para um lindo branquinho?

 

ECLAIR  

Ainda bebezinha lutou pela vida contra a síndrome do vestibular, provavelmente causada por uma otite. Sim! Como você percebeu otite pode ficar muito mais grave do que a maioria imagina.

Eclair não conseguia comer, beber, andar, tudo por descoordenação.

Fez tratamento com antibióticos, aos poucos foi recuperando à coordenação motora e sua postura ficou 95% normal.

Foi castrada, vermifugada e hoje vive feliz, amada e bem cuidada com sua família ( foi adotada ).

 

AMARETTO

Chegou com um abscesso do tamanho do Himalaia! Assustador.

Foi feita drenagem de 250 ml de pus! Imaginem a dor que ele sentia.

Depois debridamento, exames complementares, acompanhamento e alimentação específica com ração hipoalergênica.

Lembra do sachê que falamos lá em cima? Então, o do Amaretto é especial, precisamos muito de apadrinhamento, pois ele ainda está em tratamento.

Ainda não está disponível para adoção.

 

SUIÇO

Nosso carioca foi resgatado no Rio de Janeiro e trazido para São Paulo.

Estava com uma ferida infeccionada próxima ao ânus, aparentemente tratamento inadequado onde recebeu o primeiro atendimento.

Aqui foi constatado um rompimento grave do trato urinário.

Fez cirurgia corretiva, muitos exames ( incluindo uma tomografia ) e acompanhamento após a adoção.

Deu trabalho, mas vê-lo bem e num bom lar compensa tudo.

 

 

Esses são só alguns das vidas que salvamos. Para salvarmos mais, para custear alimentação, antipulgas, vermífugo, tratamentos em andamento precisamos da SUA AJUDA!

Se nós ganhamos a aposta faz aquele PIX ou clica AQUI e veja outras maneiras que você pode ajudar. Os resGatinhos agradecem e nós também.